OSESP FAZ CONCERTO APOTEÓTICO COM A SÉTIMA DE SHOSTAKOVICH. CRÍTICA DE CLAUDIO CÉSAR AUGUSTO DA SILVA NO BLOG DE ÓPERA & BALLET.

  


   A princípio, apareci neste fim de semana na sala São Paulo sem pretensão alguma de ver algo que me enchesse os olhos (ainda não sabia o que estava por vir) mas o que vi foi um verdadeiro "tsunami" de música e emoção. A sinfonia número 7 do compositor russo Shostakovich, apelidada de Leningrado, foi composta inspirada na invasão bárbara dos nazistas na antiga União Soviética.
   Primeiro ponto da noite, depois de duas semanas anteriores de programas extremamente chatos, a Osesp vem com sua maestrina titular e nos brinda com uma versão arrebatadora e com garra desta gigantesca sinfonia. Foram 80 minutos de música para ficar na história. Todos os movimentos desta sinfonia são construídos de forma magistral, como sendo uma linha única com polos de ligação de um movimento para o outro. O primeiro movimento com caráter bastante marcial já nos da o cartão de visita da força da sinfonia. Além da já imensa orquestra da Osesp, foram incorporados 41 jovens bolsistas (do Festival de Inverno de Campos do Jordão). 
   Resumindo, o palco estava tomado por um batalhão de músicos em busca do seu melhor. E o que se viu foi uma garra vinda do fundo da alma de cada um deles. O terceiro e quarto movimento em especial, sem constrangimento, digo que quase me levaram as lágrimas. As sofridas harmonias do terceiro com o arrebatamento avassalador do final do quarto movimento, fizeram com que eu saísse da sala sp em puro estado de êxtase e frenesi.
Sem dúvida, o concerto do ano até então.
Parabéns a orquestra e sua regente Marin Alsop.
Agora fico imaginando como seria essa orquestra se esta maestrina (ou alguém do padrão dela), estivesse trabalhando semanalmente em nossa Osesp.
Claudio César Augusto da Silva

Comentários